O uso do Decanter

decanter e taças

O uso do decanter pode ser considerado, por alguns, como frescura. Outros podem usar o decanter para fazer “charme” ou tentar impressionar alguém e mostrar elegância… No entanto, o decanter tem função bem definida e pode agregar muito à experiência de um bom vinho.

Existem, basicamente, duas razões para se decantar um vinho: separar o vinho de seus sedimentos (decantação) e “amaciar” vinhos mais jovens através do contato com oxigênio do ar, tornando-os mais agradáveis ao paladar (aeração).

Durante muito tempo foi comum os vinhos não serem filtrados, formando-se assim sedimentos (ou “borras”) , especialmente após alguns anos de guarda. Hoje em dia, no entanto, a maioria dos vinhos passa por processos de filtragem e clareamento, sendo raro a presença de sedimentos nos vinhos modernos. Dessa forma, a função do decanter nesses vinhos passa a ser mais a de aerar o vinho, ou “deixá-lo respirar”.

Nos tempos atuais, com o aumento da demanda mundial por vinho e aumento dos custos para a sua guarda, existe uma tendência à produção de vinhos para o consumo mais imediato e os vinhos começaram a chegar às lojas mais cedo, ainda fechados e duros em sua maioria. Para estes vinhos, jovens e potentes, o contato com o oxigênio no decanter acelera sua maturação, intensifica os aromas da fruta, suaviza os taninos, volatiliza o excesso de álcool e atenua os eventuais exageros no uso da madeira. Assim os vinhos tornam-se mais macios e menos agressivos.

decanterVinhos modernos simples, em geral, não tem necessidade de serem aerados. Aqueles muito potentes, podem até se beneficiar com alguns minutos no decanter (no máximo meia hora) para que seu buquê se abra totalmente, mas seu consumo deve ser imediato para que a oxidação não o prejudique. Já aqueles mais jovens e encorpados, com boa estrutura, como um Bordeaux, começam a ganhar com a decantação a partir de 20 a 30 minutos, podendo aerar por várias horas até que revelem todo seu potencial.

No entanto, os vinhos mais velhos e de muita guarda, que já evoluíram com o tempo em garrafa, podem “morrer” se ficarem no decanter por muito tempo. O ideal é que se use o decanter apenas para separar as borras (sedimentos), servindo o vinho imediatamente e evitando o processo de oxigenação prolongado.

Em geral, vinhos com mais de 10 anos de amadurecimento em garrafa, especialmente Vinhos do Porto, devem ser decantados. Não é nada agradável beber um vinho especial, que passou anos da adega esperando seu auge, e sentir os sedimentos na boca. Embora não influenciem no sabor do líquido, as borras na boca trazem certo amargor.

Para a decantação propriamente dita, recomenda-se deixar a garrafa na vertical por 24 horas, para que os sedimentos acumulem-se no fundo da garrafa, e então verter lentamente o vinho no decanter parando assim que surgirem as primeiras borras (a técnica clássica utiliza uma vela acessa atrás da garrafa para se enxergar os sedimentos). O vinho que sobrar no fundo da garrafa, cheio de resíduos, pode ser passado em um coador fino (como os de café) afim de se aproveitar o máximo, mas evite misturar essa sobra com o vinho do decanter. Os filtros de papel também podem ser utilizados mas costumam alterar as propriedades aromáticas do vinho.

Décanter un vin

 

E os vinhos brancos? Em geral, não se recomenda aeração ou decantação de vinhos brancos. Mas os especiais, com maior estrutura e poder aromático, podem se beneficiar de uma aeração breve já que o processo elimina eventuais aromas desagradáveis que possam ter se formado na guarda em garrafa. Já os espumantes, não devem ser decantados de maneira nenhuma!

Os decanteres, assim como as taças, costumam ser obras de design. Podem ser de diversos tamanho e formas, e variar incrivelmente no preço. O formato mais comum, e mais eficiente, é o de base larga e gargalo em forma de funil. De preferência, devem ser transparentes, de cristal ou vidro, para se observar o aspecto do vinho. Devem também acomodar todo o conteúdo de uma garrafa normal (750mL) e ainda sobrar espaço para as trocas com o ar, sem que o líquido atinja o gargalo. Alguns podem ter o fundo côncavo para permitir que se coloque gelo sob o decanter e, assim, se mantenha a temperatura. Aliás, detalhe importante quando se deixa um vinho aerando por horas em nosso clima tropical… Mas nada que não se contorne colocando o decanter em um prato com água e algumas pedras de gelo.

Como se pode perceber, o uso correto do decanter pode trazer benefícios tanto para vinhos novos quanto para aqueles com anos de guarda. E, de quebra, agrega muita elegância ao serviço do vinho.

Você decanta seus vinhos? Conte-nos a sua experiência nos comentários…

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s